Conjuntivites

Conjuntivites

A conjuntivite é uma das doenças oculares mais comuns e necessita ser diagnosticada pelo oftalmologista para que seja realizado o tratamento correto.

A conjuntivite consiste na inflamação da conjuntiva, que é a membrana transparente que cobre o globo ocular e a parte interna das pálpebras. Quando essa conjuntiva se irrita, os olhos ficam vermelhos.

Abaixo, reunimos algumas  informações sobre os diferentes tipos de conjuntivites :

  • Conjuntivite Viral : é muito contagiosa e acontece com maior frequência no verão. Elas são as que mais frequentemente são causas de epidemias.

Os principais sintomas são incômodo ocular ( ardência, coceira, lacrimejamento associado a vermelhidão nos olhos , sensibilidade aumentada à claridade e pálpebras inchadas). A secreção é esbranquiçada e geralmente em pequena quantidade.

A conjuntivite viral não possui tratamento específico.

A melhora dos sintomas pode levar até 15 a 20 dias.

A contaminação do olho se dá, principalmente, pela transmissão pela mão contaminada pelo vírus, daí a importância de algumas medidas de higiene para evitar a sua disseminação, tais como: lavar com frequência as mãos; não compartilhar toalhas de rosto e objetos que entrem em contato direto com os olhos ( maquiagem,  lentes de contato ); evitar ambientes com aglomerações ou frequentar piscinas de clubes.

  • Conjuntivite Bacteriana : é menos comum do que a viral.

Os sintomas são parecidos com os da conjuntivite viral, porém a secreção ocular costuma ser amarelada ou até purulenta.

Um tipo de conjuntivite que pode ser transmitida na hora do parto,  é a conjuntivite gonocócica ( causada pela Neisseria Gonorrhoeae ). Ela é tratada com antibióticos sistêmicos e oculares e, se não houver tratamento, a infecção pode causar a perda do globo ocular.

A transmissão das conjuntivites bacterianas se dá pela mesma via das conjuntivites virais.

O tratamento é realizado com administração de antibióticos oculares.

  • Conjuntivite Alérgica : é causada por alérgenos aéreos ( substâncias que estão no ar e são capazes de causar alergia ) que ao entrarem em contato com os olhos causam irritação ocular.

A coceira nos olhos é o principal sintoma. O ato de coçar os olhos deve ser evitado, pois pode agravar os sintomas.

Vermelhidão ocular, lacrimejamento, aumento no ato de piscar e inchaço na pálpebras também são comuns.

Os sintomas são geralmente bilaterais, entretanto, um olho pode ser mais afetado do que o outro.

A conjuntivite alérgica não é transmissível.

O tratamento é realizado com medicamentos tópicos ( colírios anti- alérgicos; lubrificantes e anti – inflamatórios, geralmente corticóides ).  Esses últimos são muito eficazes no controle dos sintomas, porém , seu uso deve ser criterioso pois  existe o risco de efeitos colaterais. O uso de anti – histamínicos em comprimidos são uma opção para os pacientes que apresentam outros sintomas alérgicos além da conjuntivite

A prevenção e o controle dos sintomas inclui medidas específicas de controle ambiental.

“Realizamos o atendimento oftalmológico com foco em crianças, desde recém-nascidos até adolescentes. Nossa área de atendimento também engloba os adultos familiares das crianças, bem como pacientes de qualquer idade.
Lembrando que as doenças oculares na criança precisam ser diagnosticadas precocemente e tratadas adequadamente, a fim de evitar uma perda visual irreversível.”

Dra Karla Delalíbera Pacheco - 2Dra. Karla Delalíbera Pacheco

“Não existe idade mínima para uma criança usar óculos. A visita regular ao oftamologista é importante para evitar problemas futuros”

Dra Juliana de Souza Rocha - 2Dra. Juliana de Souza Rocha

ARTIGOS

2019-04-23T21:41:43+00:00